terça-feira, fevereiro 08, 2011

O cinismo, essa arte por dominar


É fingir que não se vê e sorrir, apenas por fora. É dar palmadinhas nas costas enquanto se torce o nariz e se puxa o tapete. É a luta pela sobrevivência num habitat cada vez mais artificial. É o "saber viver" na base de relações que são tudo menos verdadeiras. É dizer com leveza e despreendimento o que mais nos toca no coração. É mostrar o que não se sente e mascarar o que se pensa em prol de algo maior. É ter ganas de vomitar só de pensar em anular-me desta forma...

5 comentários:

PAC disse...

O poeta é um fingidor.

Finge tão completamente

Que chega a fingir que é dor

A dor que deveras sente.





E os que lêem o que escreve,

Na dor lida sentem bem,

Não as duas que ele teve,

Mas só a que eles não têm.





E assim nas calhas da roda

Gira, a entreter a razão,

Esse comboio de corda

Que se chama o coração.


--
Fernando Pessoa

Vanita disse...

Maninho :)

lzn disse...

Gostei desse post. O teu blog também é muitíssimo interessante. Parabéns!

lzn disse...

Gostei desse post. O teu blog também é muitíssimo interessante. Parabéns!

Vanita disse...

Obrigada :)