terça-feira, junho 29, 2010

O dia chegou ao fim

E com ele fecha-se um ciclo de oito anos. Desde os 23 anos que o meu nome é sinónimo da empresa de onde hoje sai. Dei-lhe a minha juventude e ela deu-me a melhor experiência que alguma vez podia ambicionar ter. Tive o privilégio de fazer História na área de trabalho por que me apaixonei quando era miúda. Fomos grandes, fomos únicos, fomos inteiros, fomos os maiores e os melhores. Brilhámos enquanto profissionais, crescemos como pessoas. Fizemos amigos e construímos uma "família" no local de trabalho. Ralhámos, discutimos, zangámo-nos mas também fizemos as pazes, rimos como ninguém, superámos tudo e todos e guardamos na alma o segredo de sabermos o mais ninguém poderá saber. Porque só quem viveu o que vivemos juntos pode entender o que é lutar pelo que acreditamos e conseguir ter sucesso. E nós tivemos esse privilégio. Eu tive esse privilégio. É por isso que as lágrimas que hoje me escorreram todo o dia pelo rosto se vão manter para sempre no meu coração. São lágrimas de alegria. São lágrimas de tristeza. Porque foi bom. Foi mesmo muito bom.

8 comentários:

Rapunzel disse...

Já passei por isso...
Força e um grande beijinho!

Poetic GIRL disse...

Sabes pelo menos durante este anos todos foste realmente realizada no local onde trabalhas-te. E isso é muito raro, cada vez mais raro. Agora é esperar pelo que aì vem... bjs

Caia disse...

Irá começar uma nova etapa, também ela boa com toda a certeza. Boa sorte.

Suspiro do Norte disse...

Sabes..durante estes dias, sempre que ouvi a noticia, lembrei-me muitas vezes de ti, e do aperto no coraçao que acredito que sintas..

Torço para que te surja uma nova etapa, muito feliz...


beijinho

Vanita disse...

É tão bom o vosso carinho. O futuro vai sorrir, tem de sorrir :)

Pipoca dos Saltos Altos disse...

:)

Inês disse...

Estou aqui há vários dias sem saber o que dizer mas com a certeza de que tenho de dizer qualquer coisa... Quero evitar os clichés mas nestas situações torna-se difícil, prometo no entanto não proferir frases do tipo: "fecha-se uma porta, abre-se uma janela". Ah, espera, já está!
Recuo então umas linhas só para dizer que sinto muito (cliché, mas verdade!), não imagino o que seja não ter para onde ir quando se acorda de manhã.
Aproveita o tempo, mas não deixes que seja demais ;)

Vanita disse...

Estou empenhada em que não seja mesmo tempo demais, Inês. Obrigada pela tua atenção :)