quinta-feira, novembro 12, 2009

No dia em que me disseram que tinhas morrido

Não chorei uma lágrima. O meu coração fechou-se, congelado numa dor que já tinha sentido quando te perdi pela primeira vez. Deixei-me conduzir na tua morte dentro da redoma de uma força que nem sabia que tinha. Hoje sei que se tivesse deixado correr a primeira lágrima nunca mais teria parado. Porque me fazes falta, porque enquanto não chorasse a tua morte estarias apenas longe, como já estavas há uns tempos. Longe mas ali, onde eu sabia que estavas, com o sorriso que nunca te largava. Que não te larga porque, estejas onde estiveres, sei que estás a sorrir. É assim que vives na minha memória, na memória de quem não te esqueceu. Hoje sei que não passa de uma mentira. Não estás cá mas continuas a fazer-me falta. Tanta...
imagem daqui

3 comentários:

Lebasiana disse...

pois... eu tambem sou assim... no primeiro impacto nao choro... e durante uns tempos sinto que a pessoa vai voltar a qualquer momento... mas nao volta... e choro!

jinhos :(

Dany Days disse...

Lindo!!!

Catarina Leandro disse...

Sei bem a dor que descreves. Que encontres em ti força para superá-la, pois é imensa.
Desculpa, tomei a liberdade de comentar o teu texto, pois está muito bonito e sentido.
Catarina Leandro