sexta-feira, outubro 03, 2008

Ora o "Rio das Flores"...

Ainda não falei sobre o último romance de Miguel Sousa Tavares mas o livro não me foi indiferente. Aviso já que este texto contêm spoilers pelo que, se quiserem continuar a ler, já sabem ao que vão. Admitamos que as expectativas estivessem elevadas. O "Equador" é um dos livros marcantes da minha biblioteca pessoal. Não se esperava menos deste mas as expectativas saíram goradas. Na minha opinião, claro, que de outra coisa não se fala aqui. Ora bem, o romance em si é o pior de "Rio das Flores". E porquê? Porque não tem estrutura, não tem história, nem objectivo. Caminha ao sabor da vontade do escritor de se dedicar mais a uma personagem - com a qual claramente se identifica - do que às restantes. E mesmo essa dedicação inside mais nas suas deambulações de personalidade. Não vou dizer que o livro está mal escrito, claro que não. Está bem escrito, sempre bem escrito. Tem quebras na narrativa, tem sim senhor. Mistura factos históricos com ficção, uma mais valia recentemente descoberta e que me parece uma boa aposta de inúmeros escritores. Mas a ideia com que fiquei é que o livro foi estruturado em cima do joelho. Pegou-se num período histórico e vários temas chave que se pretendia abordar e criou-se ali à volta uma trama, mas uma trama sem consistência. Confesso que nos capítulos iniciais acreditei que Miguel Sousa Tavares estava a tentar recriar o ambiente familiar em torno de uma casa que Gabriel Garcia Marquez tão bem retratou em "Cem Anos de Solidão". Mas a ideia perde-se com o passar das páginas. Há momentos em que o [puro] relato histórico não encaixa no romance. Há personagens e desejos das mesmas que se perdem e nunca mais se recuperam. Enfim, há toda uma série de ingredientes essenciais num romance perfeito que aqui faltam. Ainda assim, por contraditório que possa parecer, gostei. Gostei porque me indignei com o fim das várias estórias, porque me deixei envolver e é essa a magia de um livro. Mas não foi perfeito. E era o que se esperava. Que eu esperava.

6 comentários:

free speaker disse...

Eu ADOREI o equador e este Rio das flores, ao contrário das expectativas que tinha, não me encheu as medidas, bem pelo contrário! Dá-me a sensação que podia ter acabado 100 páginas antes que não teria feito diferença! Nhecas... ;)

Vanita disse...

Concordo... confesso até que aquela discrição da guerra final foi lida assim na diagonal :P

Neni disse...

Tenho o livro lá em casa pra ler, plo que parei na parte do post em que dizias "aviso já que este texto contém spoilers...", mas plos 2 comentários fiquei agora um bocadito desanimada...

Anita :) disse...

não digo que foi uma desilusão, porque até gostei do livro mas, o autor em demasiadas alturas tem mais a preocupação de "encher" o livro com dados históricos do que em conduzir a trama, o que leva a que esta se perca muitas vezes...
Não gostei do final também...pareceu-me extremamente forçado!!

anDrEIA disse...

Também já li o livro... e o Rio das Flores fica a anos luz do "Equador"... aquelas descrições históricas eram escusadas!

Psiquiatra Angustiado disse...

Pois é, agora houve alguém mais avisado, que durante uns meses vai calar o senhor!