sábado, setembro 15, 2012

Hoje pode fazer-se história

Ainda não decidi se me junto aos muitos que se vão manifestar contra as medidas de austeridade e, exactamente por isso, estou danada comigo e com que pensam como eu, nem que seja por segundos, o segundo que pode fazer a diferença . A verdade é que poucas manifestações têm o poder de gerar uma reviravolta nas políticas instaladas mas, como facilmente se percebe, esta de hoje reúne o raro condão de unir patrões e trabalhadores na mesma luta. Desperdiçar a oportunidade de repetir o 1 de Maio de 1974 revolta-me as entranhas. Mas depois há os comentários exaltados, demasiados extremistas e pouco ponderados, que me deixam com o pé atrás. Temo pela integridade física dos manifestantes mas, sobretudo, preocupa-me que a verdadeira mensagem se perca pelo caminho. Pior, irrita-me que estas angústias diminuam o número de manifestantes. É que não se volta a repetir uma oportunidade como esta. Ou talvez se repita, daqui a mais de trinta anos. E eu não quero fazer parte da geração que cruza os braços e assobia para o lado.

4 comentários:

Patrícia disse...

Também tenho algum receio que dê para o torto e que haja violência. E sei que a mensagem pode passar deturpada. Mas também sei que a maioria dos que lá vão, irão com a razão do seu lado. E posso estar errada mas acho que o dia de hoje vai marcar a diferença. Por isso vou.

Nessi disse...

vai...eu estou em Londres e vou! a situacao é demasiado má para nao se ir!

Alexandre disse...

Só vai haver sangue cá, se escorrer do que vai ser derramado em Espanha daqui por um anito...
Mas como o nosso povo é burro que nem uma porta, provavelmente até vai preferir não perder um dia de praia...
Mas posso estar enganado.

Suz disse...

Anda daí, melher :)