sexta-feira, outubro 14, 2011

Última noite



Sabia que este dia ia chegar. Preparei-o e ensaiei todos os passos uma e outra vez. Despedi-me tantas vezes que é como se já não precisasse de o voltar a fazer, agora que se concretiza. À memória vem-me o dia em que subi as escadas, às seis e meia da manhã, descalça, com as sandálias nas mãos. A noite em que chorei durante horas, às escuras, sentada no chão. O dia em que fiz 30 anos, o que fiz 25 e aquele em que acordei com a música que iluminou o meu 29.º aniversário. O "Dream On Girl" da Rita Red Shoes a ecoar pela janela do quarto aberta, enquanto os raios de sol entravam sem pedir licença. Os encontros furtivos com-não-vou-dizer-quem à porta do prédio, com tantos e tantos beijinhos trocados no escurinho do parque onde nunca - mas mesmo nunca! - foi fácil encontrar lugar para deixar o carro. O dia em que cheguei a casa com o MEU primeiro carro. A manhã em que regressei do Rio de Janeiro, com a chuva fria de Fevereiro a fazer-me sorrir enquanto me enroscava na cama de uma cidade deprimida com o Inverno. O dia em que te levei lá a casa, me abraçaste e citaste Depeche Mode, para dizeres que tudo o que sempre quiseste estava nos teus braços. As más notícias que chegaram ao telemóvel. Terríveis. O dia em que sai de casa de manhã, sozinha, para ser operada ao apêndice e toda a aventura que se lhe seguiu. As conversas intermináveis com a almofada. A crença, a angústia, a alegria e o amor. Foram quase nove anos. Nove anos de independência, vazio, amizade, cor, dor e muita, muita vida. Nove anos que já passaram.

5 comentários:

Princesa M disse...

um novo ciclo que agora começa. vais ser feliz!

chocolanja disse...

Gosto mesmo da maneira que escreves:) E sim, para a frente é o caminho!

Vanita disse...

:)

S* disse...

A mudança pode ser muito benéfica... :)

Vanita disse...

Está a ser :)