sexta-feira, agosto 05, 2011

Telegrama

Mais de 62 horas non stop. Um funeral. Um aniversário num cemitério. Prazos por cumprir. Muitos quilómetros na estrada. Desgaste. Falta de mimo.