sábado, outubro 09, 2010

Quando eu nasci

Quando eu nasci,
ficou tudo como estava,
Nem homens cortaram veias,
nem o Sol escureceu,
nem houve Estrelas a mais...
Somente,
esquecida das dores,
a minha Mãe sorriu e agradeceu.


Quando eu nasci,
não houve nada de novo
senão eu.


As nuvens não se espantaram,
não enlouqueceu ninguém...


P'ra que o dia fosse enorme,
bastava
toda a ternura que olhava
nos olhos de minha Mãe...

José Régio

17 comentários:

Inês disse...

Parabéns Vanita :)

Soraya Azevinho disse...

lindíssimo josé régio que você aqui deixou!

um beijinho de parabéns*

Pepita Chocolate disse...

Muitos Parabéns, Vanita!

Feliz dia!

E sim, vou poupar-te às cantorias dos Parabéns.

E sê feliz! [podia lá deixar de dar este voto!]

Beijoca!

Vanita disse...

Obrigada meninas :)

Rapunzel disse...

Muitos Parabéns e tudo de bom! :)
Bjs

Poetic GIRL disse...

Parabéns que tenhas um dia fantástico! beijocas

j disse...

parabéns *

mónica disse...

Muitos parabéns, miúda gira. Quantos são?
tem uma dia (uma vida) muito feliz.
Beijos

Abigail disse...

Parabens :)
beijinhos

Neni disse...

Muitas parabéns, minha querida. Muitas coisinhas boas. Beijinhos

Celuska disse...

Feliz aniversário!


Beijinhos
Célia

Vanita disse...

São 32 anos, Mónica. Obrigada a todas, mais uma vez. :)****

Sadeek disse...

Parabéns querida! E 32 é uma belissima idade, deixe que lhe diga! Magnifica colheita a de 78, atrevo-me a dizer.. ;)

Vanita disse...

Como essa não se fazem outras :)

Sadeek disse...

Nunca mais mesmo... ;)

Panda disse...

Parabéns e não podias estar escolhido melhor poema :)

Cat disse...

Parabéns atrasados. :)