segunda-feira, outubro 19, 2009

Sobre o casamento

Quando era miúda sonhava com o casamento, mas tinha vergonha de assumir esse sonho. Corava só de entrar numa loja de vestidos de noiva com medo que lessem na minha mente esse desejo de um dia também eu poder escolher um daqueles modelos alvos - obviamente que seria 'o mais bonito de sempre' - e imaginava-me a entrar numa igreja, de braço dado com o meu pai e toda a família e amigos a assistir. Era um sonho tão real que sentia uma certa pena de a igreja da minha terra não ser tão bonita como eu queria que fosse a igreja do meu casamento. Sim, porque para ser à séria, o casamento é na igreja da paróquia da noiva. E isso eu não podia mudar. Pensava no tipo de vestido, se seria mesmo branco ou de outra cor, no bouquet perfeito e até nos sapatos que queria usar. Era um sonho que nunca partilhei porque parecia ser de outro tempo. Ninguém se queria casar. Era piroso. Por isso, nunca falei nele. Mas durante muitos anos foi um sonho real. Só que, sem me aperceber, foi morrendo. Primeiro estavam os estudos, depois a carreira, pelo meio os namoros nunca correram da melhor forma e, quando acordei, já não precisava de guardar o segredo a sete-chaves. Ele já não existia. O casamento não é um sonho para mim. Há muito tempo. Por desilusão, desencanto e falta de fé. Não acredito em contos-de-fada. Não acredito nas relações que vejo à minha volta nem acho que, tão depressa, estejam a salvo do egoísmo que tomou conta de cada um de nós. Já ninguém quer ser um casal. Queremos provar que somos alguém, sozinhos. Que não precisamos de ninguém ao nosso lado para sermos bons profissionais, bons filhos, bons amigos. Nunca precisámos tanto de amor como agora, no entanto, somos incapazes de o viver. E casamentos de fachada, desculpem, mas não me convencem. Para mim, um casamento será sempre à moda antiga, como nos meus sonhos de criança. Para sempre. E isso já não existe!

15 comentários:

Poetic GIRL - BELA disse...

Eu também tinha esse sonho. Até á data ainda não se concretizou e começo a achar que esse sonho não é para mim... bjs

Dina disse...

Eu prefiro acreditar que é possível :)

chocolanja disse...

Eu tenho esse sonho;)

Neni disse...

Subscrevo tudo e tudo o que escreveste!

O Guaxinim disse...

Existe, olha que existe. À antiga e tudo.

Gaja com G maiúsculo disse...

Subscrevo totalmente. Tal como tu cresci a sonhar, a idealizar com o que seria o meu dia de casamento, o meu futuro marido e a minha vida de casada. Mas as decepções que fui tendo, mataram o sonho que sempre me fez andar, durante muitos e muitos anos... hoje também não acredito no casamento, e o amor... apenas está destinado àqueles mais especiais ;)

Beijinho

anita disse...

vais ver* que um dia destes ainda vais escrever um post a dizer que andas nas lojas de noivas a procura de um modelito para ti! =)
força***

Rui disse...

Eu tive o percurso contrário. Avós separados. Pais separados. Nunca acreditei minimamente no casamento. Mas isso mudou. Acredito no 'para sempre'... nem que só dure alguns anos. Porque enquanto dura, estamos a vivê-lo. E é isso que interessa e deve ficar. Chega de guardar somente as mágoas. De pensar sempre no fim. Hmmm, será que fiz sentido? Talvez não.

Anónimo disse...

Será que começaste pela areia?

Vanita disse...

Pois, se calhar ;)

inesinho disse...

De uma céptica sobre o casamento posso dizer-te o seguinte, a minha avó casou aos 17, como se fazia antigamente, e foi desterrada para longe para ter filhos e ser uma boa esposa. Não resultou. Foi já muito depois dos quarenta que casou pela terceira vez, e casou com aquele que sempre chamei de avô. Ele partiu o ano passado, e percebi que desde esse dia ela está-se a ir abaixo para ir ter com ele. Portanto, o casamento com o véu e a grinalda e a igreja pode até ser bonito, mas melhor, acho eu, é amares e ser amada como deve de ser, nem que seja à terceira vez. Porque os contos de fada só existem, quando já se sabe umas coisas.

beijinho

Vanita disse...

Adorei inesinho. Sei que deve custar ver a tua avó entregar-se mas é bonita a forma como entendes isso.

Beijo grande ;)

winkle disse...

nunca acreditei no casamento.. nunca sonhei andar vestida de noiva e chegar ao altar..

penso que uma pessoa para ser feliz não tem de casar.. Mas se a pessoa já é feliz, se sente bem consigo e ama alguém, porque não?

Nada é eterno.. mas é uma decisão como tantas outras, pessoal e intransmissivel...
Confesso é bonito ver o ar de felicidade dos noivos no dia do casamento :)

Ana disse...

Olá. Acabei de vir para ao teu blog através de um link de outro e gosto muito do que li. Quanto ao casamento, não percas a esperança, porque quando menos esperares encontras alguém que te vai fazer querer arriscar. No entanto, não penses que é tudo um mar de rosas porque não é; Necessita de trabalho, compreensão, ajuda, respeito, perdão e muito mas muito amor para conseguir singrar e sobreviver à rotina diária e ao stress do mundo que nos rodeia. Quando encontrares alguém que esteja disposto a arriscar e amar contigo, vale muito a pena tentar, ... com cerimónia ou sem, tanto faz.

Anónimo disse...

existe existe existe sim...espero eu!