sábado, outubro 03, 2009

No início era assim...

Um mundo desconhecido que comecei a explorar porque estava de baixa, confinada em casa. A Internet era o escape para o mal-estar de uma operação inesperada. Descobri os blogues. Quer dizer, já os conhecia. Mas foi durante aquelas três semanas que realmente me deixei contagiar por este mundo tão especial. O blogue que tínhamos criado entre colegas de trabalho era uma mera brincadeira, fechada ao grupo dos que lá escreviam. Mas, naquelas três semanas, descobri que existia uma comunidade, para além dos Abruptos deste país, que nunca me atraíram por aí além. Uma comunidade de blogues pessoais que me fazia companhia. Bem escritos, divertidos e com um mundo completamente novo por explorar. Viciei-me. Durante uns tempos o meu passatempo era lê-los, apenas. Tinha os meus favoritos, onde todos os dias lia experiências novas, descobria formas de estar diferentes e, sem me aperceber, ia entrando neste modelo tão próprio que é a blogoesfera. Depois de uma tentativa quase a solo, foi há quase três anos que me lancei neste projecto individual. Por esta altura já tinha o meu top 5 bem definido. A Pipoca era um link indispensável em qualquer blogue que se prezasse, mas havia mais. Com a Kitty Fane descobri a cumplicidade de quem passa por um mau momento da forma mais positiva que consegue. A ironia da Bad Girl entusiasmava-me, se calhar por se perceber que por detrás daquelas palavras se escondia uma mulher do norte cheia de garra. Pelo meio encontrei um homem que me despertou a atenção. Pai de quatro filhos, tinha ultrapassado um divórcio e estava apaixonado por uma miúda quase da minha idade. O Alf era uma das minhas personagens favoritas, assim como a Nani. Também a Luna me conquistou, mesmo antes de me fazer viajar até São Francisco. Assim como a Miss K, figura misteriosa que disfarçava uma ternura imensa em cada post que escrevia. Era em literatura que pensava sempre que me perdia nas divagações dela e de Ele. Mas era nas palavras da Andorinha que me deixava voar com prazer, até ao dia em que descobri que a conhecia. Da vida real. Sim, nesse dia a vida real e a blogoesfera começaram a tocar-se. Os nicknames começaram, aos poucos, a ganhar contornos de gente, pessoas normais, com vidas normais que, não raramente, se cruzavam no meu dia-a-dia. Mas o encanto continuava lá. Só que entretanto a vida foi-se sobrepondo. A blogoesfera deixou de ser o meu "segredo" e democratizou-se. Todos os dias, cada vez mais gente conhecida anunciava aos quatro ventos que tinha um blogue. Passei a conhecer as caras antes de lhes ler as palavras. E os meus cantinhos de eleição também mudaram. Nada é como era. Continuo a gostar da libertação que um blogue me traz, continuo a gostar de descobrir carácter e personalidades neste mundo tão peculiar. Mas já nada disto tem o encanto dos primeiros tempos. Se calhar fui eu que mudei. Se calhar...

8 comentários:

Inês disse...

Posso usar este texto para descobrir quais foram os blogs que os meus leitores começaram e ler? Achei giro o exercício de memória :)

Vanita disse...

Claro que sim, estás à vontade. Aliás, agora que falas nisso, eu própria fiquei curiosa :)

Kitty Fane disse...

Eu acho que todos mudámos. Eu mdei, tu mudaste... :-)

Beijinho

P.S. Ainda me lembro bem do e-mail que me enviaste nessa altura. Como se fosse hoje. :-)

Luna disse...

Fiz há uns tempos um exercício semelhante, tentando lembrar-me das primeiras pessoas que comecei a ler e que me levaram a criar o meu blog. Fico lisonjeada de ser uma das tuas escolhas. Beijinhos

João disse...

Subscrevo a última parte. Completamente :)

Vanita disse...

E tu, João, também fazias parte dos meus preferidos...

Bela Adormecida disse...

Tens prémios no meu blog para ti :)
Beijo

B. disse...

Deixei um selinho para ti no meu blog! :)