sábado, novembro 01, 2008

Pão por Deus

O Dia de Todos-os-Santos é dia de levar o Pão-por-Deus aos vizinhos, amigos e familiares. Para mim, uma tradição quase com tanto peso como o Natal. Infelizmente descobri, há uns anos, que em Lisboa não se faz nada disto. Nem se sabe o que é. E é apenas uma das melhores sensações do Mundo. Nas minhas memórias idílicas, o Dia de Todos-os-Santos é passado em casa, à lareira, e marca, de alguma forma, a chegada definitiva do frio. A mesa está posta com tudo o que é bom, o tal Pão-por-Deus. Broas doces, que podem ser de batata, mel, milho ou simples. Muitas ainda quentes, a fumegar, com a crosta estaladiça. Algumas são recheadas com nozes, outras com passas. Há broas castelares, castanhas assadas, frutos secos, figos, tâmaras, pinhões, nozes, amêndoas. E passa-se ali o dia, com a família, trocando o nosso Pão-por-Deus com o de quem nos visita. Há muitos anos que estou a trabalhar neste dia. Hoje não é excepção.

3 comentários:

Lua disse...

Não conheço essa tradição!:(
Beijinho*

inesinho disse...

Paõ-de-deus... mham, mham, mham, estás a abrir-me a portugalidade!

(tb só descobri essa costume quando me mudei para Coimbra!)

IandU disse...

Também não conhecia. Mas as broas de milho têm bom aspecto*