quarta-feira, agosto 20, 2008

"Todos nós já estivemos em Barajas"

Ouvia-se hoje no meu local de trabalho. Não será bem assim. Eu, por exemplo, só lá estive em Maio. Podia nunca ter estado. Mas é mesmo aqui ao lado e é isso que toca. É impossível ficar indiferente a um acidente como o que aconteceu esta tarde no Aeroporto de Madrid.

"Porquê", perguntava-se ainda. Porque facilmente nos conseguimos rever nas pessoas que estavam dentro daquele avião, respondo eu. Porque todos nós conhecemos alguém que podia, por um acaso, estar ali dentro. Porque a ligação da Spanair com a Lufthansa não é uma realidade assim tão distante. Ainda no mês passado foi dessa forma que o meu irmão regressou da Croácia. E porque todos - mesmo os que não admitem! - temos medo de andar de avião.

O que é que este acidente tem de especial? Mais uma vez, foi aqui ao lado e acidentes destes são raros na Europa. Porque isto aumenta as estatísticas e não faz nada bem ao pânico que sentimos quando estamos de malas aviadas no aeroporto.

Mas não é só por isto. É porque morreram 150 pessoas. Porque sentimos cada uma dessas pessoas como se fosse alguém próximo. E depois de ouvir o comandante da TAP que falou na SIC Notícias, de quem não consegui descobri o nome, pensamos duas vezes antes de voltar a comprar um bilhete low cost. Porque isto de poupar na segurança tem que se lhe diga. Assim como o facto de se sofrerem represálias caso se opte por abortar um vôo apenas porque as luzes que se acendem no cockpit não nos dão confiança total para o fazer. Dito pelo homem que garante que voar de avião não é, actualmente, mais seguro que andar de carro.

Enfim, medos antigos voltaram hoje todos à tona da água.

7 comentários:

Lua disse...

O homem disse isso? Ai que eu não vi! Não tenho (grande) medo de andar de avião, mas na próxima vez talvez fique um bocadinho mais ansiosa...
De lamentar é esse número assustador de mortes. É bem verdade que também dói um bocadinho cá dentro...

Ah, eu nunca estive em Barajas.

Lua disse...

Ups!

Beijinho*

Mikitas disse...

Eu já lá estive, há três anos. Devo dizer que não gostei nada daquele aeroporto

Rui disse...

Pronto, lá vou eu regressar ao meu kit para andar de avião.

Ainda na terça-feira chegaram dois colegas meus da Roménia, onde fizeram escala naquele aeroporto.

Kitty Fane disse...

Eu tb vi isso. Acho que o homem exagerou um bocadinho. Viajar de avião continua a ser mais seguro do que andar de carro, mas... eu nunca voei em Low cost, precisamente porque alguém do meio me disse que eles para terem bilhetes àqueles preços, não poupam só na comida.

tia a disse...

pois eu não tenho medo algum de voar e passo a vida a fazê-lo low cost sem razão de queixa. Claro que lamento as mortes e, embora não me recorde concretamente disso, sim, tb já estive em Barajas. A questão para mim é outra. Faz-me confusão que tanta gente tenha medo de viajar de avião e não estremeça nem um pouco quando salta para dentro do carro e se coloca ao volante daquilo que é uma verdadeira arma mortal que voa rasteira, que todos os dias ceifa milhares de vidas pelo mundo. Acidentes acontecem. Infelizmente. Alguns roubam-nos das pessoas que amamos. Outras roubam-nos da tranquilidade de confiar. São terríveis. Serão sempre. E sempre - mesmo quando o mundo for todo perfeito - haverá acidentes. Porque o que é imperfeito é o ser humano, essa condicionante que nunca conseguiremos arrancar à existência, siga ela por ar, mar, terra ou carris...

estrela do ar disse...

Já estive em Barajas, mas pela Iberia, porque ficava praticamente o mesmo preço, e com melhores horários, do que as low cost. E é por essa razão que ainda nunca usei low cost, porque os preços são baixos mas os horários são tão maus que se gasta mais em transportes ou em noites extra no hotel.