sexta-feira, janeiro 25, 2008

Friends are forever!

"Eu não tenho amigos!". Sempre foi esta a minha angústia. Embora estivesse rodeada de pessoas, sentia falta de ligação e cumplicidade. E porquê? Porque, desde que me conheço, sou exigente, muito exigente. E isso traduz-se em relações possessivas, doentias, com muitos ciúmes à mistura. Entretanto a vida obrigou-me a crescer, da pior forma. E como dizia hoje a Meredith em "Anatomia de Grey", as situações limites trazem-nos uma clarividência perante a vida que depressa se desvanece. Pois eu vi muito durante esse meu momento. Vi quem amava e vi como amar. Percebi como o fazer e o que não aceitar. Sim, porque falta de auto-estima - afinal é disso que se trata, lá bem no fundo - também nos leva a aceitar situações e comportamentos inaceitáveis. Tudo isto porquê? Porque hoje li num blog que outra miúda que também teve o seu momento de clarividência aprendeu a seleccionar as pessoas com quem vale a pena dar-se. Parece terrível? Não é! Na vida temos de aprender a dizer não, porque, como diz o tal provérbio alemão de que falo lá em baixo: o que é nosso volta sempre. Com a amizade passa-se o mesmo. Há alturas em que, por muito que doa, é preciso impôr limites, como quem poda uma árvore para que, assim, ela cresça mais vistosa e mais bonita. E hoje em dia, embora passe muito tempo sozinha, já não tenho coragem de repetir a frase de cima, que me acompanhou durante uma parte da minha adolescência. E sinto-me privilegiada por ter pessoas tão bonitas na minha vida. E sim, tu és uma delas!

4 comentários:

Mikitas disse...

Obrigada, é muito bom saber isso!
Se eu falar das minhas amizades não saio daqui. Só sei que até ao dia de hoje já me fartei de cair, levantar e voltar a cair. E foram muitas as vezes.
Costuma-se dizer que à segunda é mesmo burrice, mas eu tenho um grande defeito: acredito sempre nas pessoas, mesmo quando elas me estão a usar. Acredito sempre na amizade delas e que olham para mim como eu olho para elas. No fim, vou sempre ao fundo do poço. Fico lá alguns dias. As minhas lágrimas ajudam a enche-lo e, quando dou por mim, já estou à tona novamente!

Para ti, sabes que estou aqui!

tia almeida disse...

Chama-se selecção e é uma arte difícil de dominar. Magoa-nos mais a nós do que àqueles que deixamos pelo caminho, mas é por isso que um dia chegamos a um certo momento da nossa vida e sabemos intuitivamente com quem podemos contar. E ser exigentes... É um caminho com pedras. Mas a vista lá de cima é magnífica, garanto. Beijinhos aloirados da tia

tia almeida disse...

sim, é sexta-feira e estou mentalmente aloirada, que queres...

sónia, a "loira" disse...

obrigada. tu sabes que também tas no ca dentro. e acho que ja reparaste que eu faço sempre por nunca deixar cair quem gosto. por isso, quando te sentires a descer vertiginosamente, agarra-te a mim. eu deixo:)